Livro texto 1

Como os links dos livros que postei foram retirados do ar, vou repostá-los aqui:

New Practical Chinese Reader Text Book 1

Audio Lessons

Livro texto 1

1-2 (5.07 Mb)

3-4 (5.19 Mb)

4-5 (6.03Mb)

6 (5.11 Mb)

7-8 (5.99 Mb)

9-10 (6.20 Mb)

11-12 (5.87 Mb)

13-14 (7.88 Mb)

All_Lessons (47.30 Mb)

The Text book can be downloaded here (12.7 Mb).

To download a file, right click over the file name and select “Save As“.

33 comments on “Livro texto 1

  1. […] certo? Vocês já devem ter baixado os arquivos de áudio do livro no post de download dele certo? Senão, pegue aqui. Baixem todos o quanto antes. Estudem as páginas 16 a 23 do livro texto com muita atenção […]

  2. Pablo disse:

    Gostaria muito de aprender mandarim,
    eu aprecio muito como eles falam,
    gostaria se fosse possivel,
    que voce ensinasse como falar o mandarim???

    • X-nês disse:

      Olá Pablo.
      A eloqüência usada no modo de falar chinês é mesmo singular e quem aprecia, aprecia muito. Este livro é muito bom e seu áudio ajuda muito a dominar os fonemas da língua chinesa, principalmente nas primeiras 5 lições. O primeiro passo é conseguir pronunciar todo o pinyin e os tons. Em paralelo é para conseguir falar bem as frases, uma dica que já citei no blog é treinar de traz pra frente. Por exemplo, na lição 2 temos: “nǐ yào hē kāfēi ma?” (Vc quer beber café?), então para falar eloquente comece: ma… kāhēi ma… hē kāfēi ma… yào hē kāfēi ma… nǐ yào hē kāfēi ma. Tente pausar só a cada 3 fonemas desde que não corte nenhuma palavra no meio. Não é via de regra, mas ajuda no aprendizado. Tente imitar ao máximo as falas do livro e da série Growing up with Chinese lembrando que o chinês exige muito mais usar os músculos de sorrir e da garganta para fazer os sons que o nosso português. Farei posts futuramente com essa e mais outras dicas. Espero que ajude e pergunte sempre que precisar! Obrigado!

      • 刘诗韵 disse:

        Suas dicas são perfeitas! Estou começando a estudar o mandarim porque me mudei pra China ano passado e casei com um chinês. Que experiência divina! Adoro o blog, sigo e curto muito!

  3. James Fábio de Araújo Santana disse:

    Não consigo baixar o livro 1???

    • X-nês disse:

      Clique com botão da direita em cima da palavra “here” e selecione a opção “Salvar como” e então você fará download do arquivo Textbook.pdf. Um abraço. 再见!

  4. Aline Igansi disse:

    你好!
    Com cada vez mais frequência visito esse blog. Adoro a cultura oriental (sou apaixonada pela diversidade de todo o continente asiático!) e gostaria muito de entender a língua chinesa.
    Tenho uma dúvida: os kanjis usados no Japão são os mesmos hànzis usados na China? Tenho essa dúvida porque o acesso a lições de nihongo é muito maior que ao de mandarim e, portanto, gostaria de saber se estudando os kanjis disponibilizados nos fóruns e vários sites destinados ao ensino dessa língua auxiliam, são parecidos ou são os mesmos que os hànzis usados na China. Sei que não devo confundir com os outros alfabetos japoneses (katakana e hiragana), mas li em algum lugar que os kanjis utilizados no Japão são de origem chinesa, então me surgiu a dúvida, se esses mesmos kanjis atualmente ainda são usados na China.
    Mais uma dúvida: qual a diferença entre pinyin e zhuyin? É necessário entender ambos?
    Obrigado pela atenção, parabéns pela iniciativa!

    • X-nês disse:

      Excelente pergunta Aline, aliás vou fazer 2 tópicos para responder, mas adiantando a resposta, os Kanjis são sim uma adaptação dos Hanzis na forma tradicional que foram levados da China ao Japão há muitos anos atrás. Como são ideogramas, se não me engano em sua grande maioria manteve-se o mesmo sentido com mínimas alterações. Já o Katakana e Hiraganá são propriamente alfabetos pois são representação fonética onde os símbolos por sí próprio são desprovidos de sentido. Com relação ao pinyin e zhuyin farei uma pequena pesquisa para não falar nada errado, mas para mandarim não é necessário entender ambos não. O pinyin foi adotado como uma padronização para romanização do mandarim. Essa semana posto as 2 respostas após uma pequena pesquisa e batepapo com meu lǎoshī. Muito obrigado Aline! Fico muito feliz com as perguntas e isso me dá um norte de como trabalhar o blog. Abraço!

  5. Sueli Suzuka Hasegawa disse:

    O meu 老师 explicou que não há necessidade de memorizar o pinying nem o zhuying. O pinying é um instrumento para facilitar a pronúncia do hanzi, para ocidentais. O zhuying é utilizado na alfabetização de crianças chinesas, até a memorização dos ideogramas. São ¨muletas” de aprendizado. Não são considerados alfabetos. Vc nunca encontrará textos em zhuying ou pinying.
    No idioma japonês, todos os kanjis foram copiados do hanzi. Porém não copiaram todos. O hiragana é um alfabeto usado para suprir a falta de alguns kanjis (que deixaram de copiar), o katakana, por sua vez, é o alfabeto utilizado para escrever palavras de origem estrangeira (leite, café, coca-cola, etc.)

    • X-nês disse:

      Sim suas informações estão corretas Sueli. Concordo que não há necessidade nenhuma de memorizar nenhum dos 2. O sistema de zhuying está caindo um pouco em desuso como expliquei num outro blog comparando os 2 métodos. Muitos países que os adotaram estão passando pro pinyin durante o processo de alfabetização (embora nenhum dos 2 seja alfabeto). A única ressalva é que uns chineses meus amigos me falaram que é possível encontrar pinyin em muitos lugares como em alguns rótulos de produtos, cardápios em alguns lugares, dicionários mais novos, livros infantis… mas na minha opinião o pinyin tem um fator importantíssimo e indispensável que exige sim sua memorização que é na digitação em chinês usando teclado ocidental. Essa é a principal utilidade do dia a dia dele…
      muito obrigado por partilhar sua experiencia conosco!!!

      • G.D. disse:

        Na verdade não é preciso usar pinyin nem zhuyin para digitar em um teclado comum; dá para usar sistemas não-fonéticos, como o Wubizixing, que é inclusive o preferido por muitos digitadores profissionais chineses. A vantagem é que com o Wubi, ao contrário do pinyin, não é preciso digitar a frase ou palavra inteira e logo após ter que reler tudo com cuidado e procurar pelos caracteres corretos quando o IME errou a previsão, pois tudo vai certo de primeira — se o digitador não errar, certamente. A desvantagem é que leva mais tempo para aprender e é preciso lembrar dos caracteres ativamente, não apenas do som e fazer uso de reconhecimento passivo (bem, isso pode ser visto como uma vantagem, pois fortalece ainda mais a memória).

        Quanto aos kanji vs. hanzi, o que o Japão faz é uma bagunça — mistura caracteres totalmente simplificados, com caracteres parcialmente simplificados, com tradicionais, e versões próprias que não existem em chinês; em sua maioria, porém, acabam sendo mais similares aos tradicionais. Dá para aproveitar uma boa parte deles (mas não a pronúncia!), porém daí é preciso ter o trabalho extra de ver e aprender o que é igual e o que é diferente entre eles. Eu pessoalmente diria que, se o desejo é de estudar chinês eficientemente, é melhor começar direto com o que eles usam, não com o que os japoneses usam. E, para começar o estudo dos caracteres, um método mnemônico como o Remembering the Hanzi do Heisig & Richardson pode ser a melhor opção (porém oficialmente só tem em inglês, espanhol e alemão).

    • Emerson Werneck disse:

      Nem o hiragana nem o katakana são alfabetos (pois não têm letras), e sim silabários, ou seja, cada símbolo representa o som de uma sílaba.

  6. Christie disse:

    seu blog é perfeito, me ajuda bastante, muito obrigada por se disponibilizar em ajudar as pessoas!

  7. Diógenes disse:

    gostei muito do material e agora sei que posso aprender chines, uma vez que moro longe dos grandes centros, obrigado!

  8. Marcos disse:

    Nota: 1000 XIÈxiÈ. Que pena, não sei nada de inglês. Só sei espanhol.

  9. Maria Suzie disse:

    Adorei seu Blog. Havia começado a estudar Japonês (meu ex era descendente e seus pais era nativos); mas agora descobri que tb posso aprender o Mandarim…já sei algumas coisinhas, mas tanto numa língua quanto na outra tenho uma dificuldade enorme com os ideogramas. Consegui baixar um dos livros e, vou anotar aqui seu Blog. Muito obrigada!

    • X-nês disse:

      Obrigado Maria,já estudei um pouco de japonês pelo método Kumon mas aprendi muito pouco e acabei esquecendo o hiragana. Aprender sem conversar é complicado, por isso sugiro a quem tiver disponibilidade de fazer aula de turma, pois essa experiência de troca que intensifica a memorização. Espero que goste. O pouco que sei da gramática japonesa, acho sinceramente a chinesa mais fácil, embora a pronúncia chinesa seja mais difícil e não tenha alfabeto.

  10. Thales Vieira Lima disse:

    Curti muito a iniciativa. Acho o mandarim a língua mais fantastica entre a raça humana. Sempre tive muito interesse em poder aprender. O problema é que no momento não tenho mto tempo para fazê-lo. Mas curti muito a iniciativa. Espero que não acabe. Isso proporciona a possibilidade de manter viva esse fantastico idioma.

  11. Marco Lucena disse:

    Boa noite, iniciei os estudos neste mês, porém ao baixar o livro texto está em inglês. Voce teria algum em português.

    • X-nês disse:

      Ainda não encontrei livros em português de qualidade. Como já postei, infelizmente aprender chinês sem usar material em inglês deixa tudo mais difícil. Os livros feitos no brasil não tem didática nenhuma (pelo menos os que eu já avaliei) e creio que só servem para quem tem facilidade de memorização e o acompanhamento de um professor.

      • Marco Lucena disse:

        Prezado, voce teria algum material de estudo a recomendar que pudesse me auxiliar de início em meu aprendizado?

  12. Adriano disse:

    Gostaria de agradecer essa linda iniciativa que teve de compartilhar conteúdos em chines, esse livro é fantastico, irei começar a treinar :D.

  13. X-nês disse:

    Olá Marco, dê uma olhada na página “Fale Mandarim” lá em cima, que eu desenvolvi um programa para quem quer iniciar do zero, que deve gastar 2 semanas pelo menos para completar. É um ótimo ponta pé inicial.
    E não deixe de votar na gente no Top Blog 2012!

    • Marco Lucena disse:

      Ok, vou verificar na página. grato. Ah! Já votei e estou torcendo.

  14. Eunice disse:

    bem estou a começar a estudar chines por curiosidade e tenho vontade de ir lá 1 dia

  15. Rodrigo disse:

    Olá X-nês, Gostaria primeiramente de agradecer por esse blog, muito bom, eu realmente gostaria de dizer que graças a esse blog eu senti vontade de aprender Chinês ( simplificado), é um idioma que tem um som muito bonito, obrigado pelas dicas e pelo curso online, bom eu comprei um livro para reforçar o que estou aprendendo aqui no blog, esse livro se chama: “Aprenda a falar chinês – Curso rápido e fácil” ele é fácil de compreender embora tenha alguns erros de gramatica, sem contar as frases em alemão ( desconfio que esse livro foi traduzido de uma versão alemã), mas fora isso é uma excelente excelente ferramenta para complementar o que vc ensina, o site da editora é: http://www.escala.com.br/detalhe.asp?id=13158&grupo=17&cat=168
    e peso sua ajuda para continuar a aprender esse idioma complexo.
    obrigado e continue com esse blog maravilhoso.

    • Rodrigo Sze disse:

      Minha esperiencia da editora escala é que ela é muito boa em abordar assuntos mais especificos. Ja comprei alguns livros da area de computacao deles. Mas eles não se aprofundam e não necessariamente fazem um material de primeira. Mas ter um livro que provavelmente veio do alemào é muito bom. Melhor do que fosse um material brasileiro, pois vindo do alemão há chances de ja ter sido um material mais trabalhado. Se vc conciliar com algumas videos aulas online e trabalhar a leitura (em voz alta) e escrita, vc vai longe!
      Muito obrigado! E bons estudos xará!

  16. Nicolas disse:

    Cara, nem estou acreditando que encontrei tanta riquesa de material aqui!! Muito feliz com sua atitude me compartilhar conosco isso, nem em livrarias eu pude encontrar algo a respeito! Obrigado!!! ;D xie xie nin!

  17. Rodrigo disse:

    Oi rodrigo, quando vc vai postar coisas novas no site? o professor abandonou seus alunos? ;(

    • Rodrigo Sze disse:

      Estou sem tempo demais ultimamente, mas realmente preciso voltar a cuidar do blog e do meu mandarim também! Vou tentar me esforçar mais pra conseguir! 不客气!

  18. jonatta disse:

    não consegui entender nada, o livro esta em inglês o áudio é todo em chines , não sei como um brasileiro poderia conseguir aprender assim mas valeu a intenção , algumas pessoas da china me enviaram um monte de coisas para aprender chines que não teve proveito nenhum, é quase se eu mandasse um material todo em outro idioma, talvez pra um americano servisse, não para um simples brasileiro.

    • Rodrigo Sze disse:

      Há muito pouco material de qualidade adaptado para brasileiros para o estudo de mandarim. Infelizmente o bom estudo usa o inglês de base ainda… Torcemos para isso mudar com o tempo!

  19. sonia barsocchi disse:

    Oi, a você e a todos. Estou estudando chinês (básico) no Instituto Confúcio. Estou gostando muito, tanto do sistema, da estrutura (tem biblioteca, sala de mídia) e dos professores, jovens, dedicados e eficientes. Além do mais, é praticamente no valor de uma ajuda de custo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *