Os 4 tons de mandarim

你们好? Vamos rever os tons? Primeiro vejamos o vídeo para depois irmos para as explicações.

Como sabemos o chinês é uma língua tonal, ao contrário das línguas de origem européia. Isso significa que a entonação faz parte da estrutura semântica, ou seja, um conjunto de sons (ou sílabas)  pode ser interpretado como uma ou como outra palavra, dependendo da entonação utilizada. No ocidente, o tom é usado para expressar sentimento, dúvida, ênfase, final de frase. Não é assim que funciona na língua chinesa.
Para os ocidentais isso se torna um desafio no ínicio do aprendizado do chinês uma vez que não temos o ouvido ou músculos treinados para distinguir bem e expressar as tonalidades necessárias. Mas uma vez vencido esse passo, a língua chinesa se apresenta como uma uma arte de grande beleza e peculiar. No mandarim, o dialeto oficial da China, há 4 tons. Vamos apresentá-los no seguinte gráfico.

Clique aqui para ver o gráfico e clique no ying-yang para escutar as pronúncias e depois use o botão “Voltar” do seu browser para retornar.

Os 4 tons
Os 4 tons

O gráfico ao lado demonstra a relação dos 4 tons e como eles podem ser expressos numa relação de pronúncia e tom. Reparem que:

  1. O primeiro tom é o mais alto (agudo) e constante, como o barulho do tom de telefone (ex: tummm)
  2. O segundo tom começa médio e sobe, como o tom que usamos normalmente para fazer uma pergunta (ex: o quê?; heim?)
  3. O terceiro tom é começa baixo, fica mais baixo ainda e sobe até o alto. Costumo normalmente tremer a músculo da garganta quando ele chega na parte mais baixa. É como às vezes pronunciamos uma vogal com crase.
  4. E o quarto tom começa alto alto e desce rápido e direto até se tornar grave, como um toma de xingamento (ex: fuck! – em tom de raiva, como quando se bate dedinho na cadeira). Este tom é pronunciado mais rapidamente que os demais, podem reparar. Meu professor sempre batia palmas para indicar mais ou menos a velocidade e desenvolvimento desse som.
  5. Há um quinto tom que na verdade não é considerado tom, pois não tem tonalidade, sem ênfase nenhuma e por isso nunca contam com ele.

Pratiquem bastante e pronuncie lentamente falando claramente a mudança de um tom para o outro. Agora é uma hora boa hora de rever o vídeo do início do post ;) Com um tempo de prática é possível conversar numa velocidade maior e mesmo assim escutar e pronunciar claramente os 4 tons. Apesar de mais de 2 anos de chinês ainda prático muito e erro muito os 4 tons. Mas adianto-lhes: “Acertar o tom muitas vezes é mais importante que pronunciar corretamente a sílaba, pela minha experiência os chineses identificam mais a palavra pelas vogais e pelos tons”. Mesmo porque em algumas regiões da China, no mandarim assim como português, o som das consoantes podem variar um pouco. Por exemplo, se no lugar de “Wǒ shì Rodrigo”, dizer: “Wǒ sì Rodrigo” dá pra entender, mas: “Wó shí Rodrigo”, já não dá! Só para vocês entenderem a importância da tonalidade.

Uma dica para o vídeo, as sílabas que em pinyin são formadas apenas de: “Consoante” + “Vogal ‘O’”, na verdade apresentam um som de ‘U’ antes do ‘O’, então reparem que no vídeo, “Bo” é pronunciado “Buo”. Esta regra só vale para as sílabas compostas de duas letras (consoante+”O’), caso tenha mais letras, o ‘O’ tem sua pronúncia normal.

Fontes: http://www.wku.edu/~shizhen.gao/Chinese101 e Wikipedia.

3 comments on “Os 4 tons de mandarim

  1. [...] que existem na China. O pinyin se aplica apenas para o mandarim. Este, junto com os post dos 4 tons de mandarim é o post mais importante para quem quer aprender o mandarim. Está é uma técnica que precisa [...]

  2. Célia Nunes Costa disse:

    É prá chinês mesmo, minha querida, ou para os super dotados como você.Vá em frente pois a China está ” bombando “.

  3. Andre disse:

    Awesome!!! xD

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

     

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>