木人桩: um pouco da história, um sonho, planejamento, a construção e a prática

Post escrito na íntegra pelo leitor Phillip Souza, espero que gostem como eu gostei.

Há alguns anos pratiquei Kung Fu. Nunca precisei usar o que aprendi na rua e espero jamais precisar. Mas, por horários incompatíveis, tive de deixar de praticar. Porém, muito da essência dessa característica cultural chinesa permaneceu arraigada em mim – latente, mas viva.

No final de 2010 (geralmente 15 dias antes de virar o ano), sempre faço meu balanço anual e o planejamento das grandes metas e objetivos para o ano seguinte. Então, decidi colocar em pauta minhas vontades, dentre elas: voltar a praticar Kung Fu e Tai Chi Chuan. Mas como poderia fazer isso, pelo menos a princípio, sem professor? Na época em que fazia aulas, comecei a aprender um estilo chamado Wing Chun (ou Ving Tsun ou mesmo 詠春), em que consiste treinar (também) com um boneco de madeira, o Mudjong. O Wing Chun é um sistema de defesa pessoal realista, criado na China por uma mulher (monge shaolin). Simples e eficiente, descarta todo movimento acrobático. É uma arte marcial singular, desenvolvida para permitir que qualquer tipo de pessoa, independentemente de tamanho, força ou sexo, possa se defender de agressores maiores e mais fortes.

Ótimo, até aí, sem problemas. Decidir, planejar, colocar no papel (ou no computador) é fácil. Mas, melhor ainda é REALIZAR!

Em janeiro começou a saga em busca do tronco ideal. Visto que qualquer madeira está cara (e seria inconcebível encomendar um mudjong pronto), não foi muito fácil encontrar o corpo de meu boneco. Janeiro passou, fevereiro, março e chegou abril… nada até então… até que uma vizinha ofereceu um tronco de goiabeira que tinha cortado de seu quintal há alguns meses. Imaginei a princípio que dava para fazer o mudjong, mas a espessura e o formato da madeira ainda não estavam adequados, mas mesmo assim peguei – menos um empecilho para a vizinha, pois ela estava querendo se livrar daquilo (risos). Um amigo da família, vendo minha empolgação e determinação, falou que olharia em um local onde tinha muita madeira que era cortada para fazer peças para telhado colonial. Fomos ao local, mas nada de encontrar uma alma viva… foi assim durante uns três dias. Até que, enfim, consegui encontrar alguém que pudesse me apresentar aquele lugar cheio de troncos *-*. Inicialmente tinha escolhido um enorme, pesado (uns 200 kg), de mais de 3 metros de comprimento. Mas, diante dessas características, seria impossível removê-lo… andamos mais pela propriedade e encontramos a peça ideal: 2,70 metros, 20 centímetros de diâmetro, um eucalipto seco. Perfeito! Dois dias depois, fui lá e comprei a peça mais uma madeira (parajú) para fazer os três braços.

Após a busca de quatro meses ter terminado, começava o trabalho árduo: construir o boneco. A primeira tarefa foi cortar o tronco no comprimento adequado: serrote, força, paciência mais 3 horas para cortar a peça… e um ninho de formiga justamente onde o corte estava sendo feito! Foram todas aniquiladas! Depois, realizei a tarefa dos furos: na foto vocês podem ver como ele é: no tronco existem 6 buracos: três para os braços, um para a perna e dois (um bem em cima e outro bem embaixo) para sustentação. Cada furo foi feito primeiro com broca (para atravessar o tronco) e depois trabalhado com martelo e formão: cada um demorava cerca de 2 horas e meia. Depois de quatro dias de trabalho, tinha terminado essa parte tão intensa. Depois trabalhei nas madeiras que compõem a sustentação do boneco: são tábuas corridas (essa que encontramos em casas de chão de madeira) da madeira ipê – muito trabalho, pois são muito duras. Cortamos, colocamos no comprimento adequado, eu lixei, entraram muitas farpas nas mãos (algumas com mais de um centímetro), mas, no final, essa parte foi resolvida.

Trabalhei nos braços em que tive de pedir ajuda ao meu pai que é marceneiro – afinal, tem máquinas que não sei mexer… Daí ele fez os braços ;-)

E, antes do acabamento, o trabalho mais minucioso, delicado que deu um toque todo especial: entalhei (é isso mesmo: entalhado em baixo relevo!) no tronco alguns ideogramas para sempre lembrar os meus valores pessoais e, também (sem querer), entalhei os quatro animais lendários da mitologia chinesa: o dragão, a fênix, o tigre e a tartaruga (esses dois últimos foram por querer J). Foi cerca de uma hora por ideograma e por desenho. Uma semana e meia de trabalho, de delicadeza com o martelo e o formão – além da superbonder!

No tronco tem: Deus (神), Chi (氣), Amor (愛), Fé (信仰), Paz (和平) e Yin Yang (阴阳), além dos desenhos dos quatro animais e do próprio YinYang. Em cada um dos três braços e na perna, também tem marcado ideogramas que representam valores tanto das artes marciais quanto meus: disciplina (纪律), força (实力), coragem (勇气), equilíbrio (平衡), persistência (坚持), dedicação (贡献), habilidade (能力) e orgulho (自豪).

Por fim, a fase de acabamento. O tronco ficou com um belo aspecto dourado, os braços e a perna tiveram o vermelho natural enaltecidos – enfim, ficou um espetáculo! Depois, foi só colocar na parede e agora treinar – cuidando dos diversos hematomas que aparecerão ao longo do treinamento, já que todo Mudjong é de madeira muito dura e só desaparece se for queimado, cortado ou atacado por um tipo de cupim muito poderoso: afinal ele foi feito para durar, no mínimo, uns 100 anos.

Quem quiser ver a obra de arte do nosso amigo Phillip, pode ver aqui no site dele: http://mscmoveis.blogspot.com/2011/06/mudjong.html

3 comments on “木人桩: um pouco da história, um sonho, planejamento, a construção e a prática

  1. Mauricio disse:

    muito bom testemunhoo Phillip Souza!!..

    Faz um tempinho que eu nao vinha aqui… passei por um momento dificil, um dilema.. se deveria continuar estudando chines ou parar para aperfeiçoar as outras linguas.

    resumindo a historia… hoje estou decidido mais que nunca a continuar a estudar e praticar chines.. tenho aprendido a amar essa lingua, cultura e povo.

    devo isso muito a você RODRIGO que sempre tem cuidado pra nos atualizar em relação aos estudos, nos dando uma força e disponibilizando materiais.. vlw msm..

    quando eu estive falando chinês fluentemente.. saiba que você foi um grande colaborador pra isso!

    • X-nês disse:

      Muito obrigado Maurício,
      fico muito feliz em receber essas palavras. Me sinto muito honrado! Eu nos meus quase 30 anos de vida, cheguei a conclusão que a gente tem que saber tomar nossas decisões sabiamente apoiadas no que o coração fala. 想 xiang, significa pensar, também significa querer, também significa gostar (e também significa “sentir saudade”) e minha profa. me ensinou que a gente primeiro 想 xiang e depois a gente 要 yao, que é o querer de ir fazer algo. 想 vem do coração, assim dizem os chineses.
      Também estou num momento um de decisões na minha vida (por isso tem sobrado pouco tempo p blog), mas optei por decidir estudar novas línguas também e aumentar minha estrutura de base, mais do que aprofundar no que eu ja tenho.
      Mas além disso, te garanto que aprender chinês hoje não é só uma decisão de conhecer todas a maravilhas da China, é estar aberto para o mercado do mundo. Na China está o maior potencial econômico do planeta pelas próximas décadas (nem apenas anos). O brasileiro ainda tem resistência a essa globalização chinesa, mas é um fato sem volta. Eles vem para se integrar conosco como os EUA e a Europa são.
      Continue praticando, continuarei a manter o blog mesmo que mais lentamente. E fico feliz de ver que isso realmente ajudou aproximar mais os brasileiros e os chineses!
      Muito obrigado!

  2. Phillip Souza disse:

    Fico feliz em poder contribuir com minha experiência. Foi um trabalho muito gratificante fazer meu próprio boneco.

    Só uma corrreção: o blog (www.mscmoveis.blogspot.com) não é meu, é do meu pai. Percebi que a única coisa que herdei com habilidades em madeira foi fazer meu boneco, porque minha área mesma é a financeira – rsrsrsrs

    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

     

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Desktop Version | Switch To Mobile Version