Como conseguir o visto chinês para brasileiros

Ok. Tem mais de uma ano e meio que não publico nada. A crise chegou, trabalho apertou mas o blog continuará online com o material que usei para iniciar e manter meus estudos de mandarim e cultura chinesa.  Agora uma informação importante. Como estou indo pela PRIMEIRA VEZ PARA CHINA AMANHÃ (Yeahhhh), resolvi reunir minha aventura para conseguir ir pra lá. Primeira coisa, como conseguir o visto chinês!?

O visto é tirado por visita a China ou por ano. Estou indo daqui pra Hong Kong onde não precisa de visto, mas HK e Macau funcionam separado da China. É preciso passaporte pra entrar e NÃO te dar livre acesso a República Popular da China. Logo para passar de HK para dentro o visto é necessário.

Você pode tirar o visto pra passar uma vez pela entrada da China, válido por 3 meses, para transitar 2 vezes (válido por 6 meses acho), e para transitar múltiplas vezes por 1 ano, cada um com seu custo. É possível tirar o dia de um dia útil para o outro pagando a taxa de urgência. Mas alguns ítens são pré requisito para o visto:

  1. Ter reserva de vôo para lá (aceitaram minha reserva para Hong Kong, já que de lá eu devo comprar um transporte terrestre na hora pra chegar a ShenZhen, cidade chinesa que faz fronteira e principal cidade da região de GuangDong)
  2. Ter reserva de hotel para lá (eu entrei nesses sites de hotel e fiz uma reserva de todo período que pretendo ficar lá num hotel qualquer de Beijing que aceita cancelamento até 24 horas antes do check-in. Agora vou cancelar e traçar meu roteiro nas cidades que me interessam)
  3. Documento de trabalho no Brasil, ou contrato social caso seja empresário ou declaração de escrita que é autônomo
  4. Comprovante de endereço no Brasil
  5. Foto 3×4
  6. Preencher o formulário do consulado (tem consulado em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, a papelada é a mesma, mas os horários de funcionamento de cada um variam. Em SP eu usei esse formúlario do visto presente aqui: http://saopaulo.china-consulate.org/pl/lsqw/)
  7. Ter passaporte brasileiro (obviamente) válido por no mínimo 6 meses

Não sei se os ítens 3 e 4 são realmente necessários, mas eu levei uma cópia simples de cada e submeti os papeis juntos. Sempre bom comprovar que você tem vínculos no país e não vai mudar pra lá pra ser mais um encargo pra economia deles. Nada precisou ser reconhecido em cartório.

Chegando no consulado em São Paulo (que funciona só até meio dia), tem uma fila do lado fora e entra uma pessoa ou família por vez, numa porta de metal. Uma luz avisa quando você pode entrar. Você chega lá, fala o que quer e mostra seu passaporte. É possível preencher o formulário lá dentro mas eu preferi já levar preenchido e só deixei algumas partes para preencher lá após tirar dúvidas. O roteiro de cidades que farei pela China (uma das partes do formulário), eu deixei em branco seguindo sugestão da atendente de lá. Eles já tinham minha reserva de hotel para Hong Kong e Beijing e parecia ser o suficiente. Há várias modalidades de visto: quem vai casar, quem vai trabalhar, quem vai estudar, quem vai visitar família, quem foi convidado por empresa, quem é reporter, quem está só de passagem mas indo pra outro destino final, além da classe de turismo apenas. O processo todo é na verdade bem simples e me custou agora em Agosto de 2015, 100 reais pelo visto de uma entrada mais 45 reais pela taxa de urgência. Não levei mais de 40 minutos lá dentro para resolver minhas dúvidas e ser atendido.  Sempre achei que teria mais burocracia. Há e é possível fazer isso tudo com despachante, mas dizem que pode ser que queiram te entrevistar… não vi ninguém lá passando por isso, mas resolvi fazer tudo eu mesmo também. No dia seguinte foi só lá pegar o primeiro prêmio, a aceitação do governo chinês da minha entrada no país!
image

Isso aí, achei que faltava online um post mais detalhado de como proceder. Muito simples e mais fácil que o visto americano. Abraços e falo com vocês lá da China!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *